60px

451px

Amadeus

Contudo, na nova era industrial , as viagens e o turismo na União Europeia enfrentam um ritmo acelerado de transformação econômica, social e tecnológica. Como a UE pode lidar com essas mudanças e aproveitá-las ao máximo? Esta foi uma das questões debatidas no European Tourism Day, em Bruxelas, durante um painel no qual tive o privilégio de representar a Amadeus.

O apropriadamente denominado viajante digital está agitando os serviços tradicionais de turismo. Novas tecnologias como a Internet das Coisas, inteligência artificial e big data são adotadas pelas agências de viagens para mudar a maneira como elas comercializam seus produtos e serviços para os viajantes. Como consequência, a inovação e a criação de valor no turismo estão mudando. Os consumidores esperam participar da criação desses serviços por meio de interações mais personalizadas, acesso transparente aos dados e melhor conectividade.

A UE investe fortemente no fortalecimento das empresas, em especial das pequenas e médias empresas (PMEs), para aproveitar ao máximo esses transtornos. Essas startups e empresas de média capitalização estão sendo motivadas a adotar a transformação digital. Durante o debate, ficou evidente que a Amadeus e a UE compartilham importantes pontos de vista e objetivos industriais e tecnológicos a este respeito. Trabalhamos com agências de viagens, companhias aéreas, hotéis, empresas de gestão de destinos e outras empresas de viagens para assegurar que as PMEs permaneçam competitivas graças à inovação em um mercado justo e competitivo.

Juntos, reconhecemos o papel fundamental que os consumidores desempenham no novo ecossistema de viagens digitais. Trabalhamos juntos para garantir que a escolha do consumidor seja favorecida por um acesso tecnologicamente enriquecido aos dados transparentes e relevantes de viagens. A colaboração com a UE e o setor permanece primordial na Amadeus para garantir a concorrência e a sustentabilidade da indústria de viagens e turismo.