60px

451px

Amadeus

Brazil Estudo de caso

Minha agência de viagens precisa do IATA para ter GDS?

Português
Português
Esse conteúdo está disponível apenas nesse idioma.

Uma das principais dúvidas de quem inicia a operação de uma agência de viagens é sobre a necessidade de obter a certificação IATA (International Air Transport Association) para adquirir um sistema GDS como o Amadeus. Há também aquelas agências de pequeno porte, ou mesmo com volume expressivo de viagens, que usam apenas consolidadores para reservar e emitir passagens aéreas. Elas também poderiam ganhar mais autonomia com o uso do GDS.

Para obter o IATA é necessário seguir uma série de regras e exigências que podem parecer complexas para uma pequena agência de viagens.  Mas será que sua agência precisa mesmo ter essa certificação para ter sucesso? É necessário ter IATA para utilizar as funcionalidades do GDS? É possível ter autonomia sem isso?

Preparamos os tópicos a seguir para te ajudar a se organizar e fazer as melhores escolhas para o seu negócio. Leia com atenção e tire suas dúvidas!

O que é IATA e qual a sua função?

Fundada há mais de 6 décadas, a IATA (International Air Transport Association) é uma associação que congrega 280 companhias aéreas em 120 países. Essas companhias aéreas são responsáveis por 83% do tráfego mundial de passageiros.

Cabe à associação apoiar essas atividades e ajudar a formular a legislação internacional e os padrões a serem seguidos pela indústria em diferentes regiões. Questões como tarifas e discussões de segurança também passam pela associação. O câmbio IATA é a cotação oficial para emissão de bilhetes aéreos internacionais. Seu valor é similar ao dólar comercial.

Obter a certificação IATA pode ser muito burocrático e custoso para uma agência de viagens de pequeno porte. Por outro lado, é o que dá à sua agência o acesso ao sistema integrado de faturamento BSPLink, que garante melhores condições de crédito e recebimento de comissões com as companhias aéreas. Além disso, sem IATA, você não pode emitir passagens aéreas internacionais diretamente com as cias.

Saiba aqui como adquirir o IATA no Brasil.

Como emitir passagens internacionais sem o IATA?

Sua agência de viagens precisará da IATA para emitir passagens aéreas internacionais. Sem o IATA, você terá de contar com os serviços de um consolidador para fazer a intermediação. Este consolidador ficará responsável pela emissao e gestao dos bilhetes a partir de suas reservas dentro do sistema GDS de preferência, como o Amadeus.

Preciso ter IATA para utilizar um GDS como o Amadeus?

Você pode utilizar o GDS mesmo sem ter a certificação IATA! Uma alternativa para agências jovens, ou mesmo com bom volume de vendas que ainda não têm certificação IATA, é fazer o uso combinado do GDS com o consolidador.

Contratando um GDS como o Amadeus, você ganha rapidez e autonomia para pesquisar, cotizar e montar seus pacotes com aéreo, hotel e carro, fazendo as reservas direto no sistema, acompanhando o status das viagens e prestando um melhor atendimento ao seu cliente. Ao consolidador, cabe apenas a emissão e gerenciamento dos bilhetes: alterações, reemissões e cancelamentos.

Quais as vantagens de usar o GDS sem emitir passagens?

São muitas as vantagens de utilizar o GDS, mesmo sem poder emitir passagens aéreas, contando apenas com a reserva.

Usando o GDS, você poderá ganhar visibilidade junto às companhias aéreas e hotel brokers, independente do consolidador.  Essa estratégia pode lhe garantir maior poder de negociação, acordos e tarifas diferenciadas.

Com o GDS Amadeus você tem muito mais controle dos seus negócios. É possível checar tarifas e oferecer ao seu cliente um panorama detalhado de seus itinerários, e gerar relatórios de todas as suas reservas para melhor análise de resultados.

Fale com a Amadeus e saiba como sua agência pode ser mais produtiva com o uso do GDS!