60px

451px

Amadeus

Blog

Aeroportos têm necessidades diferentes quando se trata de transformação digital

Margarita de Lucas

Diretora de Marketing e Comunicações, Airport IT, Amadeus

Leia este artigo em Inglês, 中文(中国), русский, Espanhol, Alemão, Francês, Italiano, Japonês

Em seu âmago, os aeroportos existem para tratar os passageiros e mercadorias com eficiência e segurança. Mas eles também são partes integrantes dos modelos de negócios de várias entidades parceiras. Eles variam de companhias aéreas a prestadores de serviços de bagagem e outros provedores de serviços de terceiros.

Apesar deste propósito comum, nenhum aeroporto é igual e muitos têm diferentes necessidades e prioridades quando se trata de transformação digital. Por exemplo, se o interesse digital para alguns está no fornecimento de novas soluções ‘pontuais’ para resolver problemas operacionais de curto prazo, a ambição de outros pode ser a transição para um negócio ou modelo operacional fundamentalmente diferente. Há também um ponto mais sutil que é o reconhecimento do papel que o digital deve desempenhar no reforço das marcas de aeroportos.

Aeroportos têm diferentes níveis de maturidade digital

A maioria dos aeroportos entrevistados para o relatório, Transformação digital dos aeroportos: do desempenho operacional à oportunidade estratégica, consideraram que estavam se afastando do ‘novo lugar-comum’ do autoatendimento e da eficiência do processo (Airport 2.0) em benefício da utilização digital para otimizar o monitoramento de fluxo e o tratamento dos passageiros (Airport 3.0). No entanto, existem algumas diferenças importantes entre os aeroportos que se encontram nessa jornada, incluindo diferenças na compreensão tecnológica relativa, na capacidade de agir em função dos insights resultantes, assim como na natureza coesiva geral e no foco da estratégia digital do aeroporto. Por exemplo, alguns aeroportos podem estar acostumados a extrair os insights do monitoramento do fluxo de passageiros para utilizá-las na gestão proativa da experiência do passageiro. Contudo, para outros, o foco pode estar no desenvolvimento das capacidades fundamentais de monitoramento (talvez com um projeto piloto) ou no desenvolvimento de uma compreensão suficiente das tecnologias relacionadas.

Modelo de maturidade digital dos aeroportos de Arthur D. Little
Modelo de maturidade digital dos aeroportos de Arthur D. Little

 

Nenhum aeroporto é igual

Os diferentes níveis de maturidade no panorama dos aeroportos digitais se refletem na prioridade que os mesmos atribuem aos benefícios potenciais da tecnologia digital. É claro que a eficiência operacional, a geração de receita, rentabilidade e melhor experiência do passageiro são prioridades comuns em todos os aeroportos. No entanto, o peso atribuído a cada nível varia dependendo do tamanho, localização geográfica, estrutura de propriedade, regulamentos e mentalidade comercial do aeroporto. Os aeroportos 4.0 reconhecem o papel que o digital deve desempenhar no reforço de suas marcas. Por exemplo, o valor que as soluções digitais trazem para reduzir os custos de instalação das companhias aéreas, dentro de uma oferta global de aeroportos baseada na relação custo-benefício, em vez da otimização rigorosa dos custos.

É arriscado não agir em prol dos aeroportos

É importante observar que, além da obtenção de benefícios positivos, as decisões de investimento digital dos aeroportos são igualmente motivadas pela necessidade de atenuar de forma proativa os custos da não adoção. As pesquisas realizadas sobre a prioridade relativa atribuída a uma série de riscos denominados riscos da tecnologia digital indicam que os riscos de ‘não fazer nada’ são amplamente reconhecidos. Especialmente quando os aeroportos se veem em concorrência direta com outros aeroportos, eles parecem fortemente motivados a utilizar o digital como alavanca de vantagem competitiva a longo prazo.

Muitas vezes, esses riscos não são exclusivos dos aeroportos, mas também afetam os clientes das companhias aéreas. Em alguns casos, isso pode levar ao estabelecimento de parcerias entre aeroportos e companhias aéreas, especialmente entre as operadoras nacionais com posições dominantes no hub doméstico, para promover uma estratégia de transformação digital mutuamente benéfica.

Deseja saber mais sobre a transformação digital dos aeroportos? Baixe o relatórioTransformação digital dos aeroportos: do desempenho operacional à oportunidade estratégica .

Baixe o documento para saber mais!

Baixe o whitepaper