60px

451px

Amadeus

Brazil Blog

5 estratégias para melhorar o bem-estar do viajante corporativo

Brand Communications

Victoria Gorzio – Head of Business Travel LATAM, Amadeus

Português
Português
Escolha seu idioma. Este artigo está disponível em diversos idiomas.

Nós somos seres sociais: buscamos interação, troca pessoal e presencial e também conexões entre pessoas. Estas conexões humanas, quando construídas durante viagens de negócios, fazem total diferença para o bom andamento de parcerias, no auxílio ao fechamento de acordos e na melhoria de ganhos às empresas.

Especialmente na América Latina, sabe-se que apesar de a tecnologia aproximar as pessoas, o contato presencial é um importante acelerador de negócios. 

Uma viagem corporativa, portanto, pode se tornar um bom investimento para as corporações e também tende a impulsionar a carreira dos viajantes. Esta é uma das constatações da pesquisa da Amadeus “Bem-estar do viajante corporativo: Como manter os funcionários saudáveis, felizes e produtivos em viagens a trabalho”.

O documento também aponta que, de forma geral, os funcionários se sentem felizes quando fazem viagens de negócios1. Mas, apesar da certa satisfação dos viajantes, ainda existem pontos-chave que geram estresse e que poderiam ser evitados.

Neste sentido, é importante para as empresas criarem estratégias bem definidas para oferecer cada vez mais benefícios aos colaboradores, especialmente quando existe o objetivo de reter talentos dentro das corporações.

Confira a seguir 5 estratégias-chave para gerenciar o bem-estar dos viajantes:  

  1. Missão organizacional:incentivar a melhoria constante da gestão do bem-estar, por meio de pesquisas com os viajantes para entender potenciais problemas e estar atento a oportunidades na coordenação da qualidade das viagens no geral. 
  2. Disciplina de viagem:esta estratégia aborda temas em torno da decisão de viajar ou não. Por exemplo a importância e os objetivos daquela viagem e o uso de tecnologias virtuais que possibilitem a realização de reuniões à distância quando entende-se que o deslocamento não é necessário.  
  3. Políticas de viagem: manter uma política que seja mais flexível, como reduzir os voos indiretos, escolher a melhor acomodação para garanti o bem estar do viajante e permitir o tempo de recuperação após uma viagem. 
  4. Gestão da saúde: é um ponto fundamental na gestão do bem-estar dos viajantes, pois trata-se do cuidado e da atenção dados ao viajante, desde sua alimentação e prática de atividades físicas a gestão da carga de trabalho e análise de risco de estresse de cada um.  
  5. Gerenciamento de disrupção: por fim, este tópico avalia como prever e lidar com imprevistos que possam interromper as etapas de uma viagem, seja na escolha na comunicação com o viajante via  mobile ou no uso de ferramentas de gerenciamento de alternativas para redução dos impactos durante a disrupção da viagem.

Ao utilizar estas 5 estratégias, as empresas oferecem mais bem-estar aos viajantes corporativos, reduzem o estresse a níveis mínimos, o que resulta em melhor produtividade e satisfação.  

Por outro lado, é importante entender que as empresas devem criar abordagens equilibradas para uma gestão de viagens otimizada. Isto quer dizer que devem ser colocadas na balança tanto as necessidades do empregado (para melhorar seu bem-estar e produtividade), quanto as demandas das empresas (os objetivos da corporação para as viagens corporativas).  

A dica é abrir espaço para o diálogo dentro da empresa, com objetivo de entender as dificuldades e desejos dos viajantes corporativos e aplicar as melhorias possíveis dentro da estratégia empresarial.

Quer mais detalhes sobre as estratégias-chave para gerenciar o bem-estar dos viajantes? Acesse a nossa pesquisa.


Este artigo também está disponível nestes idiomas: Español